Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Loose Lips

Devaneios sobre tudo e sobre nada.

Loose Lips

Devaneios sobre tudo e sobre nada.

26.Set.18

Livros que curam

Os últimos meses têm sido um turbilhão de sentimentos, já nem sei dizer se bons ou maus, mas sei que há um atropelo de acontecimentos e sentimentos um tanto ou quanto dispersos e difusos no tempo. E uma necessidade gigante de experiências diferentes. Isso acontece-vos também? É que eu sinto que sempre que há alguma coisa que muda a minha vida, seja para melhor ou não, devo mudar alguma coisa, fazer alguma coisa diferente, não sei se isto vos faz muito sentido...

Pois bem, depois da avalanche que foram os últimos meses, aqui a pessoa mudou uma série de coisas. Entre as quais está o quê, perguntam vocês? Isso mesmo... livros! Pasmem-se as vossas almas, mas eu senti que precisava de ler sobre a minha dor para a conseguir ultrapassar. Contrariamente às pessoas que preferem não falar sobre o assunto e seguir com a vida, o meu processo de cura é um bocadinho diferente e passa, essencialmente, por fazer as pazes comigo própria e isso envolve muiiiiiiiiiiiiita conversa (os meus amigos têm a maior paciência do mundo) e, claro, muita, mas mesmo muita leitura.

A modos que nenhum destes livros surgiu na minha vida por acaso. Eu procurei por eles. E ajudaram-me tanto, mas tanto, que senti que os devia partilhar com vocês, porque os livros, tal como as pessoas, também curam.

 

Copy of Photo Collage – Untitled Design.jpg

Não sou pessoa de poesia, nunca fui. O Milk and Honey foi uma prenda de aniversário e devorei-o no próprio dia. Sim gente, eu sei que não é esse o propósito do livro, mas senti mesmo o livro a falar comigo, sabem? O livro está dividido em quatro partes - the hurting, the loving, the breaking e the healing - e, com exceção da primeira parte, relacionei-me muito com as outras. Tanto que li e reli o livro, andou comigo todos os dias durante algum tempo, assinalei passagens e relia-as nos dias menos bons. Deixo-vos uma passagem que me deu sempre alento e me fez sempre esboçar um sorriso, no pior dos dias:

 

i know it's hard

believe me

i know it feels like

tomorrow will never come

and today will be the most

difficult day to get through

but i swear you will get through

the hurt will pass

as it always does

if you give it time and

let it so let it

go

slowly

like a broken promise

let it go

 

É este o registo que podem esperar da Rupi Kau, uma poesia muito informal, quase como que uma conversa, uma conversa daquelas tão profundas que toca, daquelas em que a gente fica a pensar e depois, aos bocadinhos, vai sentindo o efeito.

O mesmo se passou com o The Sun and her Flowers. Comprei-o um bocadinho depois e devorei-o também. Está dividido em cinco partes i-n-c-r-í-v-e-i-s: this is the recipe of life, said my mother, as she held me in her arms as i wept, think of those flowers you plant, in the garden each year, they will teach you, that people too, must wilt, fall, root, rise, in order to bloom. 

Atenção que os livros da Rupi Kaur não são para toda a gente e eu sei perfeitamente que, não estivesse eu no mood e teria olhado para eles de esguelha, mas valem tanto, mas tanto a pena que não posso deixar de os recomendar.

 

Untitled design.jpg

Conheci o Alain de Botton pela mão da Beatriz e encomendei, ainda sem saber muito bem o que me esperava, o Essays in Love. Gostei tanto, tanto que nem uma semana depois estava a encomendar o The Course of Love. Estes livros são mesmo, como a Beatriz disse, uma lufada de ar fresco sobre a temática do amor, não só porque se ultrapassa o amor mundano e a superficialidade das relações, como porque nos desafia, enquanto leitores, nos faz refletir e repensar também aquilo que foram e são as nossas experiências.

Estes livros não são romances per se, são mais uma espécie de ensaio filosófico com base numa história de amor, aquela que podia ser a minha ou a vossa sobre um amor real e cru, que vai sendo interrompida para períodos de reflexão, do autor e do leitor. E são incríveis! Fiquei com muita curiosidade para ler mais coisas de Alain de Botton que, tenho para mim, criou todo um novo estilo literário que combina romance com filosofia e psicologia, de uma forma exímia.

Nos últimos tempos ler tem-me ajudado muito e estes livros, sem dúvida, ajudaram este processo. São livros que curam e não posso deixar de os recomendar!

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post