Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Loose Lips

Devaneios sobre tudo e sobre nada.

Loose Lips

Devaneios sobre tudo e sobre nada.

12.Mar.18

Fui a uma Revenge of the 90's e conto-vos como foi

Revenge.jpg

 

Já há muito tempo que queria ir a uma Revenge of the 90's, talvez a maior festa underground da atualidade. Acho que já tinha publicado milhões de vezes nas redes para que, se conhecessem algum RP da Revenge, me avisarem para que eu tivesse alguma oportunidade de ir.

Foi por isso que, quando divulgaram uma data para o Porto, pus mãos à obra. Desde publicação no evento a sucessivas tentativas de falar com quem já tinha ido a ver se me conseguiam o contacto do RP que lhes vendeu, fiz de tudo. E vai daí recebo duas mensagens via Facebook de RPs do evento [gritinhos de histeria com leve desconfiança] a saber quantos bilhetes queria e a explicar-me o processo da venda. Não querendo correr o risco de que o evento esgotasse antes de ter os meus bilhetes fiz a reserva de dois bilhetes de mulher (aparentemente e ainda que sejam ao mesmo preço, os bilhetes variam conforme o género). Recebi um mail logo no dia seguinte, com os dados todos direitinhos e a referência para o pagamento. Fiz o pagamento ainda com a leve suspeita que poderia estar a ser vítima de burla e só na sexta-feira, dia 09 de março, quando fui levantar os bilhetes é que este assombro me passou. Estava tudo ok e os bilhetes eram cutxi que só eles, a imitar disquetes. Quem se lembra das disquetes, ah? Quantos trabalhos entreguei em disquetes... Meu Deus! Esta coisa da idade afinal é mesmo a sério...

Bem, estava eu a contar-vos a minha jornada para a festa mais txanan do momento... Então, na sexta-feira, depois de ter os bilhetes foi altura de preparar todo o outfit que já estava pensado há uma data de tempo e que serviu como pretexto para enviar uma série de fotos engraçadas de roupas / situações nos anos 90 pelo WhatsApp. Optamos por uma onda grunge, não só porque nos facilitava a vida, mas também porque era como nos sentíamos melhor. Deixo-vos aqui o kit que me serviu de inspiração (na verdade foi isto, menos o gorro e mais umas meias de rede).

 

fb0f8cf1da45486063275d11a706e3fe.jpg

 

Ora e perguntam vocês, como é que foi a Revenge of the 90's?

Eu gostei muito. Chegamos por volta das 02h00 e apanhámos mesmo o início da "viagem" que, dizem, é o ponto alto da noite. A viagem consiste exatamente nisso, numa viagem aos anos 90 nos vários géneros de música, começando pela música pop com êxitos como Wannabe, das Spice Girls, Hit me baby one more time, da Britney ou mesmo Barbie Girl dos Aqua, passando pela música brasileira, com êxitos como Oh! Mila do Netinho, Anna Julia de Los Hermanos ou o Bicho de Iran Costa, pela música espanhola como Bomba de King Africa, pela música portuguesa com os grandes Excesso, Anjos, D'Arrasar e outros que tais e, por fim, música rock com êxitos como Killing in the name dos Rage Against the Machine que tem sempre o dom de me fazer cantar a plenos pulmões.

Portanto, basicamente a festa é isto. Uma série de músicas que a gente conhece de trás para a frente. Quando achavamos que as coisas não podiam melhorar, pumba! lá vinha outra que nos punha com um sorrisinho estúpido na cara e a dançar como se não houvesse amanhã. Pelo meio há uma série de atividades que remontam precisamente aos anos 90, inspiradas nos programas televisivos da altura, como o Big Show Sic, o Juíz Decide ou mesmo o Ai Ai os Homens!

A viagem acabou por volta das 05h00 e a verdade é que aguentamos muito pouco para além disso, a modos que não sei muito bem dizer-vos o que vem depois da dupla que atuou em seguida - vestidos à Daft Punk e a passar música da época também.

O único senão, para mim, foi mesmo o espaço. A festa no Porto foi no Via Rápida (VR, para os amigos) que, para quem não sabe, é das discotecas mais utilizadas para festas de estudantes na cidade. Isto é, eu já tive a minha dose de VR para a vida gente, não precisava de lá voltar e ver que, de facto, aquilo continua a não ser grande coisa. Depois, o facto de a festa estar à pinha a ponto de parecermos sardinhas em lata também não ajudou. Eu e a A. arranjamos um sítio no andar de cima que nos permitiu ter alguma visibilidade para o palco, mas dançar desafogadamente. Posso assegurar-vos que nunca na minha vida transpirei tanto numa saída à noite, para terem uma noção do quão glamoroso foi (Ah! Ah! Ah!).

Se voltava ir a uma Revenge of the 90's?

Se tivesse a certeza que seria noutro local, acho que sim. Sinto que ter pago 15€ para ir ao VR foi um bocadinho exgerado. 

No entanto e como não gosto muito de sair à noite, sinto que me diverti. Gostei das músicas, gostei do ambiente e gostei, sobretudo, de como me senti. Acho que isso é o mais importante.