Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Loose Lips

Devaneios sobre tudo e sobre nada.

Loose Lips

Devaneios sobre tudo e sobre nada.

05.Mar.18

A sério que ninguém se enganou?

251f1a5a9f553a216c423309d8eca4e7.jpg

 

 

No ano passado, quando anunciaram o La La Land como vencedor senti-me defraudada. Moonlight era, para mim, o justo vencedor e foi por isso que, nos breves segundos que a celebração pelo La La Land durou, eu desacreditei na Academia. Um descrédito total. Sei que muita gente adorou o filme e tuditudi, mas não acho que tenha merecido nenhuma das nomeações. Por isso, quando corrigiram o erro, ainda que meia incrédula achei que tinha sido feita justiça.

Moonlight tem tudo o que se quer num filme de Óscares e ainda que a entrega do prémio tenha sido muito sui generis foi muito, muito merecida. 

Mas este ano... Gente, este ano eu só queria que alguém me viesse dizer que se tinham enganado! É que eu fiz o trabalho de casa... Eu vi os nomeados e acreditem quando vos digo que The Shape of Water foi o que menos gostei, mas assim de longe. A única nomeação que percebo é a da banda sonora (tirando ali um pequeno trecho de Carmen Miranda, o resto é on point). Tudo o resto é um exacerbar de uma obra-prima que não existe. Já vimos esta fórmula mil vezes, afinal é a base da Bela e o Monstro. É que é isto mesmo que o filme retrata, a história de uma princesa, neste caso também com um problema, que acaba por se apaixonar por uma criatura estranha e vivem uma espécie de amor proibido. Onde é que isto é original?! É que eu não consigo mesmo perceber gente! E depois todo o assédio, homofobia e racismo dissimulados... Não me lixem! 

E nem me façam falar da atriz... Achei-a sensaborona o filme todo! Uma pequena pascácia. Não gosto da Sally Hawkins e também não gostei da interpretação.

Achei que ia ganhar o Three Billboards Outside Ebbing, Missouri e era merecido. Ainda que reconheça que o Phantom Thread também merecesse, muito. Mas, quer dizer, com qualquer um destes o Óscar estaria bem entregue. Se, por um lado, Three Billboards Outside Ebbing tem tudo o que se quer numa produção de Hollywood, com um desenvolvimento exímio das personagens, um argumento muito bem explorado e duas interpretações de cair para o lado - Frances McDormand e Sam Rockwell. Phantom Thread é uma obra-prima, verdadeiramente, mas o argumento não é algo que agrade tanto como Three Billboards Outside Ebbing, Missouri ou mesmo Call me by Your Name, numa onda mais semelhante ao Moonlight.

Isto tudo para vos dizer que estou incrédula! Não acho que seja merecido, de todo. Não foi o melhor ano para a Academia, é verdade. Mas se calhar não precisamos de baixar tanto as expectativas, certo?!

Há uma coisa boa do filme, na verdade. Para os mais atentos, hão-de ter reparado que, já na reta final do filme, quando a Elisa está a chorar nos balneários e vemos a Zelda aproximar-se dela, surge um cartaz de Loose Lips might sink ships, lindamente aplicado e com todo o significado que se lhe pode atribuir. Quão lindo, hã?

Bem... Agora é esperar pelo próximo ano! Posso já fazer a minha aposta no filme The Incredibles 2 para Melhor Filme de Animação?

11 comentários

Comentar post